30 de jul de 2015

Alice monstro fabuloso na edição comemorativa de 150 anos de Alice


Alice monstro fabuloso, também conhecida como Fringe Alice, nasceu em 2011 antes de viajarmos para Nova York para darmos uma palestra no evento semestral da Lewis Carroll Society of North America. A palestra se chamava "A caça à Alice em sete crises" e pode ser lida na integra no blog Alicenagens. Meu marido, Paulo Beto, fez uma linda trilha sonora e pilotou os vídeos que editamos especialmente para a ocasião.

A menina alicenógena nasceu como um enigma matemágico, que se tornou também um oráculo. Fazendo perguntas e jogando dados podemos evocar sentidos brilhantes, "belezuras crias"*, movimentos transversais, metamorflores, perguntas que não precisam de respostas, mas buscam novas perguntas.

A menina aliceoscópica múltipla e matamórfica mergulhou na toca do coelho em espirais loucas e entrou nas páginas do novo livro de Alice, edição comemorativa de seus 150 anos de pura alicedelia. Ela se transmutou e atravessou o espelho nas geometrias impossíveis, sonhos dentro de sonhos, tempos enigmágicósmicos.

Depois do lançamento do livro o monstro fabuloso se tornou semente para oficinas de colagem nas quais cada um transforma sua menina sonho em um jardim de amaravilhas.

Saiba mais sobre a nova edição de ALICE no site da editora  ZAHAR 



Tradução de Maria Luiza Borges
Colagens de Adriana Peliano sobre ilustrações originais de John Tenniel
(Aventuras de Alice no País das Maravilhas, 1865)
(Através do espelho e o que Alice encontrou por lá, 1871)

* Criação da minha amiga Lili Varella.

Quem sou eu no mundo? Ah! Esse é o grande enigma…


Colagem de Adriana Peliano sobre figura de John Tenniel e outros artistas
(Salvador Dali, Hieronymus Bosch,  M. C. Escher, outros)


Eu sempre pensei que meninas fossem monstros fabulosos, disse o unicórnio. 
e Alice atravessa o espelho.


Colagem de Adriana Peliano sobre figura de John Tenniel e outros artistas
(Magritte, Salvador Dali, Hieronymus Bosch, outros)










OFICINA NA LIVRARIA TRAVESSA DA BARRA

19/7/2015

Esse final de semana estive no Rio de Janeiro para o lançamento da edição comemorativa dos 150 anos de Alice lançada pela editora Zahar e ilustrada com minhas colagens a partir das figuras originais de John Tenniel. Nessa ocasião ofereci duas oficinas de colagem em uma nova abordagem, em diálogo com as colagens presentes no livro.

Cada um deveria criar a sua Alice monstro, com várias cabeças como um reflexo dos múltiplos sentidos que a obra literária ainda desperta, assim como as transformações que a personagem viveu nos 150 anos, através da arte, da ilustração, das idéias, da imaginação e do pensamento.

veja mais imagens da oficina AQUI
veja mais trabalhos e imagens de outras oficinas de alicenagens AQUI












fotos da oficina: Juliana Araújo

versão colorida da Alice de Sir. John Tenniel
presente no livro The nursery "Alice"
de Lewis Carroll (1890)


"Curiouser and curiouser! . . . 
Now I'm opening out like the largest telescope that ever was!"

Alice, o maior telescópio jamais visto?
 Adriana Peliano, 2015.

Nenhum comentário: