6 de jan de 2009

Koré > < Perséfone


Ensaios para artigo de CID MARCUS  VASQUES


Kóre, em grego, quer dizer jovem, donzela, o contrário de “Kóros”, jovem, rapaz. Às vezes, a palavra é usada com o sentido de “thygater”, filha. No mito, nasceu ela da união de Zeus, o Senhor do Olimpo, com Deméter, a deusa da terra produtiva. Um dos símbolos de Kóre era a semente, a própria imagem da alternância entre vida e morte, lembrando tanto vida subterrânea como vida manifestada. Raptada por seu tio, Hades-Plutão, levada para o Inferno, transforma-se em Perséfone, uma dualidade que nos coloca diante de dois arquétipos, o da jovem virgem e o da rainha do mundo infernal. 

 De um modo geral, Kóre é o arquétipo da jovem inconsciente quanto à sua personalidade visível nos seus relacionamentos com o mundo. Possuídas por esse modelo, muitas jovens costumam erotizar bastante a sua aparência, o seu comportamento, a sua maneira de ser, colocando as pessoas à sua volta num estado de excitação e até de paixão amorosa muitas vezes incontrolável. O arquétipo de Kóre nos remete a uma das proposições mais importantes do tema da sedução: é mais pelo seduzido que pelo sedutor que a sedução se realiza.


Colagens de Adriana Peliano sobre bonecas antigas e a biologia onírica de Ernst Haeckel.
colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano

colagem de Adriana Peliano


Colagens a partir de bonecas diversas e o país de maravilhas de Ernst Haeckel


4 comentários:

Pri Guti disse...

Adriana, que trabalho fantástico! Já te adicionei como leitura favorita, seu blog é ótimo para fugir um pouco do estresse e refrigerar a cabeça... Você é uma artista de vanguarda e romântica ao mesmo tempo, nem sei definir! Agora que cheguei aqui virei sempre! Um grande abraço e ótimo 2009, repleto de idéias!

agusco disse...

Que lindas collages Mimo!!! Adorei, parabéns parabéns, bjsbjs e tudo de bom no 2009

JanaBragaNunes disse...

Amada,
realmente primoroso! Delicado e forte... Num rompante um momento para pensar e relaxar!...
Beijos.
Jana.

Camille Stein disse...

un fascinante 'collage' de sensaciones

me ha encantado

saludos