3 de jan de 2009

COMO VOCÊS PODEM VER | As you can see

2007




Como vocês podem ver é um vídeo produzido durante a Ocupação do Paço das Artes em agosto de 2005. A instalação foi desenvolvida diante do público, num exercício constante de exposição do processo criativo, do precário e do inacabado. Naquela época eu estava mudando para uma nova casa e resolvi acampar provisoriamente no museu, transportando cerca de três caminhões de objetos pessoais para o espaço da ocupação. Comecei a trabalhar com esses objetos criando territórios imaginários nômades e movediços, num jogo de deslocamentos e apropriações.

Criei então uma floresta onde os sentidos se embaralhavam. Nesse mundo era preciso ter a coragem de arriscar um pensamento selvagem de bricoleur, sempre alerta para desmontar os quebra-cabeças da linguagem. No final, quando eu estava empacotando tudo, essa atividade se transformou espontaneamente num laboratório de sonhos e fábulas. Coloquei para tocar alguns disquinhos de contos de fadas que eu tinha comigo e interagi com as estórias de forma improvisada e imprevisível. Tomava coisas quebradas, usadas, inapropriadas para dar lhes outros usos e criar novos mundos.

Uma nova instalação foi criada na Galeria Emma Thomas para abrigar o vídeo performance do Paço das Artes.


AS YOU CAN SEE...

Como vocês podem ver is a video produced during the Occupation of the Paço das Artes in august of 2005. The installation was developed in front of the public, in a constant exercise of exposure of the creative process, the precarious and the unfinished. At that time I was moving to a new home and decided to camp provisionally in the museum, transporting around three truck loads of personal objects to the space of the occupation. I began working with these objects, creating imaginary nomadic and shifting territories, in a game of dislocations and appropriations.

So I created a forest where the senses were shuffled around. Within this world it was necessary to have the courage to risk the savage thinking of the bricoleur, a jack-of-all-trades, always ready to break up the puzzles of language. At the end, when I was packing everything up, this activity was spontaneously transformed into a laboratory of dreams and fables. I played some fairy tale records I had with me and interacted with the stories in an improvised and unpredictable way. I picked up broken, used, inappropriate things to give them other uses and create new worlds.

A new installation was created in the Galeria Emma Thomas to house the video performance from Paço das Artes. 


Créditos | Credits

Instalação e performance | Performance and Installation: Adriana Peliano
Som e vídeo | Soundtrack and video: Paulo Beto
Músicas | Songs: Pierre Henry, John Cage, Margareth Leng Tan
Estórias | Stories: Coleção Disquinho | Patinho Feio, Moura Torta, Gata Borralheira, Chapeuzinho Vermelho | Ugly Duckling, Cinderella | Little red hiding hood











Um comentário:

Pat C disse...

Putz Mimo,
que blog é esse?
dá vontade de ficar nele o dia todo,
dá vontade de tirar uns dias prá ele...
super material!
super estórias!
volto mais depois...
bjsss,
patC